Lee Miller, vale a pena navegar!   Leave a comment

Acho genial a proposta de fotografar Moda em atitudes cotidianas, e Lee Miller fez isto com maestria.

Na matéria abaixo, além de vocês poderem curtir o texto de Alexandre Belém, que nos fala um pouco da personalidade dela, também vemos algumas fotos da decada de 50 que eu simplesmente adoro… Bem construídas, inteligentes, envolventes, … Geniais!

Isabella

Lee Miller

A americana Lee Miller (1907-1977) foi uma mulher irrequieta.

Nos anos 20, ela foi uma das primeiras modelos a aceitar fazer campanhas publicitárias de langerie e, de maneira ainda mais ousada, de absorventes femininos. Sua beleza e sua audácia chamaram a atenção do editor Condé Nast, que a convidou para trabalhos na revista Vogue, onde ela logo se tornou uma das preferidas dos fotógrafos.

Lee não se contentou em posar. Interessou-se pela prática da fotografia a tal ponto que, em 1929, viajou a Paris com o objetivo de conhecer e trabalhar com o fotógrafo Man Ray – um dos mais importantes artistas do surrealismo, mas também autor de ensaios de moda memoráveis na Harper’s Bazaar. Ela, literalmente, bateu à porta de Ray e se ofereceu como assistente. Conseguiu o emprego, virou pupila, modelo e amante do fotógrafo.

Nos anos 30, Lee passou algum tempo longe da fotografia, depois de se casar (não com Ray) e se mudar para o Egito. Mas, no começo dos anos 40, ela retomou seu contato com a Vogue e acabou por cobrir a 2ª Guerra para a edição inglesa da revista. Depois do fim da guerra Lee voltou à moda – tema sobre o qual publicou dezenas de reportagens e editoriais. Este post mostra alguns desses ensaios, realizados entre 1949 e 1950 e publicados na revista Picture Post, uma espécie de Life européia. Nas fotos, é possível observar o refinamento na composição e o domínio do equipamento em diversas situações de iluminação.

Uma das fotos icônicas da vida de Lee Miller a tem como modelo. A imagem foi feita no final da 2ª Guerra pelo fotógrafo David Scherman, da Life. Trata-se de um dos banhos mais memoráveis da história: Lee Miller na banheira de Adolfo Hitler, na casa do ditador em Munique. A data é simbólica: 30 de abril de 1945, dia do suicídio do nazista.

Alexandre Belém

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado no blog da revista Veja – http://veja.abril.com.br/blog/sobre-imagens/mulheres/lee-miller/ – dia 11/01/2011, às 0:43

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: