Arquivo para a Tag ‘Poesia

Longa Exposição: O mundo encantado de Yume Cyan Featured   Leave a comment

Longa Exposição: O mundo encantado de Yume Cyan

O fotógrafo japonês Yume Cyan resolveu dar uma voltinha em uma área florestal ao redor da cidade de Nagoya e, ao chegar no local, deparou-se com dezenas de vaga-lumes voando pelo local.

Câmera no tripé e obturador aberto por alguns minutos! O resultado assemelha-se bastante ao lúdico mundo encantado de Peter Pan, onde fadinhas voavam de lá para cá desenfreadamente. Cada flash bi luminescente emitido pelos insetos foi capturado pela lente do fotógrafo que resultou em diversas trilhas de luz pontilhadas, cortando o céu da floresta. Confira!

vagalumes9

vagalume8

vagalume7

vagalume6

vagalume5

vagalume2

vagalume1

yume-2

yume-3

yume-5

Fonte: 500px.com/yumecyan/flow

Fonte: http://www.revistafotomania.com.br/index.php/categories/item/247-longa-exposicao-o-mundo-encantado-de-de-yume-ciano
Anúncios

A Paris de Márcio Scavone   Leave a comment

© Foto de Márcio Scavone. Imagem que compõe o ensaio “Paris”, 2013.

por Fernando Rabelo

“Esta é uma bela fotografia de Márcio Scavone, que foi a Paris munido de uma Monochrom, com o firme propósito de capturar a alma da fotografia. O convite veio da Leica Store São Paulo no formato de campanha publicitária, mas acabou despertando no artista a vontade de mergulhar no mundo das almas. O ensaio “Paris” ignora a força gravitacional e dá a sensação de estarmos – todos – pairando no ar. Ao todo 13 fotografias, ou melhor, 13 intepretações da alma compõem o ensaio. Com sobreposições e referências históricas, Scavone aponta o caminho irregular de uma alma para recordar-se do que já passou. Vejam o ensaio:https://www.facebook.com/pages/M-Monochrom-Escrever-com-a-Luz/539901832707981 . “

Fonte: Rede social de Fernando Rabelo

Uma inspiração do início ao fim…   Leave a comment

Mais alguns olhares de Julia Margaret Cameron   Leave a comment

“… Ao completar seis décadas de poder, Elizabeth II será o segundo monarca há mais tempo no trono britânico. Só a rainha Vitória teve reinado mais longevo, de 1837 a 1901. Período que ficou conhecido como a “Era Vitoriana”, tempos de prosperidade econômica, política e cultural.

Na fotografia não foi diferente. Neste cenário, surgiu um dos clássicos da fotografia mundial: Julia Margaret Cameron (1815-1879).

Mesmo só tendo começado a fotografar aos 48 anos e por prazer (era de uma família abastada), Cameron deixou uma obra significativa e pontual na história da fotografia. Aproveitou o círculo de amizades para retratar várias personalidades da época, como Charles Darwin. E a sua estética, que mescla subjetividade, teatralidade e uma luz bem peculiar, ainda inspira fotógrafos atuais. Uma das características mais marcantes das fotografias de Cameron são os “olhares” que os fotografados carregam.”

por Alexandre Belém

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/sobre-imagens/mulheres/os-olhares-de-julia-margaret-cameron/

Poesias de Jack Spencer…   Leave a comment

© Foto de Jack Spencer. Pontalba. New Orleans, 2001.

O fotógrafo, músico e pintor norte-americano Jack Spencer nasceu em 1951, em Kosciusko, Mississippi. Vive en Nashville, no Tennessee, EUA. Spencer manipula suas fotografias no quarto escuro de revelação. Produziu distintas séries de fotografias, entre elas “Native Soil” e “Lost Boys”. Veja mais fotos de Jack Spencer Aqui.

por Fernando Rabelo

fonte: http://imagesvisions.blogspot.com/2011/06/jack-spencer-o-fotografo-que-manipula.html

Paris Doisneau   Leave a comment

Para quem se encanta pelo trabalho do fotógrafo Robert Doisneau, vale a pena navegar pelo livro Paris Doisneau.

O volume foi lançado em 2009 pela editora Flamarion, e em 2010 pela Cosac Naify. São seis décadas da capital francesa traduzidas em fotografias que mostram Paris e seus personagens, em imagens e anotações extraídas de cadernos pessoais do fotógrafo.

Também aproveito e seleciono do artigo  Cinco vezes Paris de Eder Chiodetto, dois trechos que particularmente me tocam…

“Embora tenha feito belos trabalhos na área da moda, como se vê nesta edição, era a rua e a possibilidade de fazer uma leitura poética e fluida da vida, muitas vezes com toques surreais, que lhe atraia. A partir de então dedicou-se a encarnar a figura de um cronista dos mais atentos, construindo sua imensa iconografia nas calçadas, esse grande teatro a céu aberto.

Em diversas entrevistas, Doisneau disse ter perdido o interesse em fotografar quando percebeu que a ingenuidade havia se tornado um aspecto raro no mundo. Para quem observa em retrospectiva suas fotografias, reunidas neste livro, fica claro que para um artista que constrói uma obra humanista de extremo apreço pelas relações sociais, a ingenuidade e a crença no próximo foram de fato sua principal matéria prima”.

fonte: http://editora.cosacnaify.com.br/ObraSaibaMais/11422/Paris-Doisneau.aspx

O Fantástico do Real…   Leave a comment

Ainda não sei como, nem o que, mas certamente assistir a este registro Fantástico do Real está alimentando um novo ensaio em mim… Compartilho a boa provocação com todos!

“Um telescópio gigante chamado VLT, localizado no Deserto do Atacama, no Chile, capta belíssimas imagens do céu quase diariamente. Os cientistas Jose Francisco Salgado e Stephane Guisard, do European Southern Observatory (ESO), pegam essas imagens e, em um trabalho artístico, colocam em série, para dar a idéia de passagem de tempo.”…

publicado às 10:32, 30/05/2011 – ÉPOCA – Blog do Planeta | O meio ambiente que você faz » O balé do planeta Terra » Arquivo

Fonte: http://colunas.epoca.globo.com/planeta/2011/05/30/o-bale-do-planeta-terra/ via Jorge Diehl, em rede social.  

%d blogueiros gostam disto: