Arquivo para a Tag ‘World Day of Cyanotype 2017

Hoje é o Dia Mundial da Cianotipia!!!   Leave a comment

E para comemorar decidi sortear uma Cianotipia que de lambuja tu ainda pode escolher entre as três criações abaixo:
Elas fazem parte do ensaio Imensidão Azul e já foram expostas no Rio Grande do Sul, incluindo Festivais de Fotografia do Canela Foto Workshops. Todas medem 30 x 40 cm e estão impressas em papel Canson Aquarella.
Quer ser você a tê-la? Fácil! Até o dia 08 de outubro às 23:59h você preenche o formulário abaixo e no dia 14 de outubro – sábado – eu irei sorteá-la! Custos de postagem no envio da obra serão por tua conta, ok? Combinamos detalhes após o resultado.
Então vamos lá, é só você preencher os dados abaixo e torcer!!!!

E quem quiser saber um pouco mais dessa técnica que tanto inspira a mim e muitos outros, aqui vai um pouco de como tudo aconteceu…

Cianotipia

Durante a descoberta da fotografia, inquietações levaram cientistas de diferentes áreas a se debruçar e descobrir simultaneamente em diferentes partes do mundo como fixar uma imagem formada a partir de reações químicas provocadas pela luz em um suporte minimamente duradouro.
A impressão em azul foi trazido à luz no dia 16 de junho de 1842, quando John Herschel descreveu publicamente pela primeira vez as impressões no azul da Prússia, lendo para a Royal Society de Londres –  importante instituição destinada à promoção do conhecimento científico – um documento intitulado On the Action of the Rays of the Solar Spectrum on Vegetable Colours and on Some New Photographic ProcessesA Ação do Espectro dos Raios Solares sobre as Cores dos Vegetais, e Sobre Novos Processos Fotográficos, mencionando, entre outras descobertas, a Cianotipia. 
Sir John Frederick William Herschel (1792-1871), cientista e astrônomo inglês que tinha múltiplos interesses investigativos – seus conhecimentos se desdobravam da astronomia (como seu pai, Sir William Herschel), à matemática, passando pela física e pela química -, após conduzir diversas investigações usando sais de prata – memorandos dele revelam que em fevereiro de 1840 havia realizado cerca de setecentos experimentos nesse sentido – desenvolveu estudos abrangendo outros compostos de metais sensíveis à luz.
E descobriu em 1842 que o Ferricianeto de Potássio (K3Fe(CN)6) e o Citrato de Ferro Amoniacal  (C6H11FeNO7), solúveis em água, quando expostos à luz solar, formavam o químico também conhecido como Cianótipo, Ferroprussiato e Blueprint, de coloração azul da Prússia.
E assim nascia a Cianotipia!

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: